16 de jul de 2010

Marina Silva refuta preconceito contra evangélicos

Depois de dizer que nunca fumou droga, nem tomou Santo Daime ou bebeu, a candidata verde à presidência da República disse que sente um “estranhamento” das pessoas em relação a sua religião.

O depoimento foi durante a sabatina realizada por jornalistas, na Rede Record, dia 15 de julho, em São Paulo.

Marina afirmou sofrer preconceito por ser evangélica e se defendeu dizendo que ter uma religião não a torna uma pessoa conservadora e limitada. "Fico triste quando vejo algumas pessoas acharem que pelo simples fato de professar a fé evangélica eu seria, a priori, uma pessoa limitada, conservadora".

A candidata disse ainda que sempre fez questão de combater o preconceito religioso.

A senadora lembrou que o Brasil é um estado laico e o presidente precisa respeitar essa característica.

Segundo dados do Instituto Datafolha, os evangélicos são detentores de um quarto do eleitorado brasileiro, contra 61% dos católicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário