10 de set de 2010

Longa vida ao Corão, sem cinzas

O pastor americano Terry Jones desistiu de queimar o Corão, livro sagrado dos muçulmanos. Ele queria fazer a fogueira em protesto ao atentado terrorista ao World Trade Center, em Nova York, há nove anos. O pastor também é contra a construção de uma mesquita muçulmana bem próxima ao local onde aconteceu o atentado. O ímã Feisal Abdul Rauf concordou em mudar o local onde será a construção.

Muitas pessoas e entidades foram contra o ato da queima. Até o presidente Barak Obama e a Interpol alertaram para o risco. Temem-se novos atentados em represália ao gesto. Ainda há risco de os americanos sofrerem violência ou descriminação em países estrangeiros.

O livro nem foi queimado, de fato, e já surgiram protestos. Muçulmanos indianos pisaram na bandeira dos Estados Unidos. Cristãos paquistaneses queimaram um boneco do pastor, em Lahore. Todos entendendo que a queima do Corão é um ato de profanação do livro sagrado do islã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário