15 de nov de 2010

Bancada evangélica quer CPI do aborto

Passadas as eleições, parlamentares da Frente Parlamentar Evangélica na Câmara dos Deputados visitaram Michel Temer (PMDF-SP), vice-presidente eleito e atual presidente da Câmara dos Deputados, levando uma reivindicação: Querem que seja aberta a CPI do Aborto para investigar as clínicas que fazem aborto de forma ilegal e o mercado de medicamentos abortivos. Também colocaram em pauta discutir o Estatuto do Nascituro, que listas os deveres da família em relação ao feto, e a Lei Muwaji, que dá à Funai a responsabilidade de atuar contra casos de infanticídios em aldeias.

Entre os deputados que fazem parte da bancada estão João Campos (PSBD-GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica, que quer a CPI ainda este ano, e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que acredita que a CPI pode ficar para 2011.

Ainda no segundo turno, e com vista a não perder os votos de parte de evangélicos que a apoiaram, Dilma Rousseff assinou uma carta-compromisso que encaminhou ao segmento firmando compromisso de não tocar em assuntos polêmicos que vão contra os princípios cristãos da família.

A bancada evangélica saiu maior nessas eleições. Eram 43 deputados. Hoje são 72. Aumento de 67%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário