13 de fev de 2011

Roubaram a história do Egito

Como professora de História, deixo meu depoimento lamentando o roubo de oito peças arqueológicas do museu do Cairo, chamado de Museu de Antiguidades Egípcias, que fica na praça Tahrir, local onde se concentrou as manifestações populares pela saída do ditador Hosni Mubarak.

Ele deixou o governo, depois de 30 anos, o que deve ser celebrado pela população que pede democracia nas eleições marcadas para setembro. Mas o roubo das peças é uma perda para a arte, a cultura e a História Antiga do país.

Uma das peças roubadas é uma estátua adornada do faraó Tutancâmon, que reinou entre 1333 a.C. e 1324 a.C.

Autoridades egípcias informaram que 70 peças do museu foram danificadas durante os protestos, mas que todas podem ser restauradas. Duas múmias sofreram danos.

Eu visitei esse museu quando viajei para o Egito. Vi a múmia de Tutancâmon que está no acervo, vi muitas outras múmias nas amplas salas. Objetos raros. Jóias e tesouros das principais dinastias do Egito antigo.

Que o novo país que hoje se deseja construir, com a democracia reinando, traga mais consciência pela preservação da história e da identidade dos egípcios. Uma perda irreparável esse roubo, caso a polícia não consiga reaver as peças e punir os responsáveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário