22 de abr de 2011

Páscoa, momento de fé

Páscoa significa passagem em hebraico. Antes do nascimento de Jesus Cristo, já era celebrada pelos judeus, que comemoravam a data com o sentido de liberdade, após 400 anos de escravidão no Egito. Para os cristãos significa renascimento de Cristo e sua ascensão ao céu, dois dias depois da morte na cruz.

A adoção dos ovos como símbolo da data está ligada ao fato de que o ovo, aparentemente morto, contém uma vida que aparece subitamente. Antigamente, para diferentes povos, representava a criação e a fecundidade. Normalmente eram pintados e oferecidos aos amigos nas ocasiões festivas. A partir do século 19, com o desenvolvimento da indústria de chocolates, os ovos de Páscoa passaram a ser de chocolate. Foi nessa época que a Igreja Católica adotou o ovo oficialmente como símbolo da Páscoa. Eles eram escondidos nas ruas e nos jardins para serem procurados. Até hoje, os ovos de galinha pintados são tradição em muitos países, como na Polônia e na Ucrânia.

O coelho também é outro símbolo da festa. Mesmo não botando ovos, é ele quem os traz. A tradição nasceu na Alemanha, há muitos séculos. Costumava-se dizer às crianças que os coelhos levavam os ovos e os escondiam nas plantas. Na manhã do dia da Páscoa as crianças procuravam os ovos escondidos pelos coelhinhos.

A Páscoa sempre é comemorada 40 dias após a Quarta-Feira de Cinzas, simbolizando o fim da Quaresma.

Mas os ovos de chocolate e os coelhinhos não podem roubar a cena. Jesus é quem deve ser lembrado e adorado. Foi Ele quem morreu e ressuscitou para religar o homem a Deus. Jesus é o Salvador. Ele é o símbolo maior da Páscoa.

Páscoa é a sexta-feira da paixão, o sábado de aleluia, mas, principalmente o domingo. Pela manhã bem cedo, mulheres foram ao túmulo, mas o Rei não estava lá. Jesus havia ressuscitado. Essa é a vitória dos cristãos. Hoje podemos ter vida eterna porque Jesus venceu a morte e nos religou a Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário