3 de abr de 2011

Pastor queima Alcorão e explode violência no Afeganistão

Os fatos

Na última semana 20 pessoas foram assassinadas por fundamentalistas no Afeganistão. Entre as vítimas, sete funcionários das Nações Unidas.

Mais de mil pessoas cercaram o prédio da ONU, na cidade de Mazar-I-Sharif, e abriram fogo contra inocentes.

As manifestações criminosas e sangrentas foram em protesto ao pastor americano Terry Jones, que vive na Flórida, que colocou fogo no Alcorão, livro sagrado dos muçulmanos. O alvo foi a ONU, mas a guerra é contra qualquer fonte americana.

Na cidade de Herat e na capital afegã, Cabul, também houve protestos.

O contexto

Ano passado, o pastor Jones criou uma polêmica nacional ao ameaçar queimar o Alcorão em protesto contra a construção de um centro islâmico perto de onde ficavam as Torres Gêmeas, em Nova York. Acabou desistindo.

Mas há duas semanas ele resolveu colocar em prática a idéia que assustava o mundo. Na igreja do pastor Jones vendem-se camisetas e xícaras escritas “o Islã é do demônio”.

Minha opinião

Lamentável, irresponsável, intolerante e antibíblico o comportamento do pastor americano que queimou o livro sagrado dos muçulmanos. Isso é inaceitável, injustificável. Ele pode não concordar com a fé islâmica, mas deve respeitá-la.

Mesmo com a desculpa de que foram insultados e desrespeitados em sua religiosidade, também não posso concordar com o massacre aos funcionários da ONU. Eles eram inocentes.

O presidente dos Estados Unidos Barak Obama também condenou o pastor. Ele caracterizou o ato como “extrema intolerância e fanatismo”.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas se reuniu em caráter de emergência e condenou o ataque ao prédio das Nações Unidas no Afeganistão. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, disse que o ataque foi uma “covardia”.

Um comentário:

  1. Sinceramente não vejo solução em agir tal qual o pastor John Piper. Cristãos que já são perseguidos nos países onde o islamismo é predominantes, agora muito mais serão, pessoas morreram. Sou cristão, porém de maneira nenhuma considero tal barbaridade e a inconseqüência do pastor o ato de um cristão transformado. Jesus se deixou ser cuspido, esbofeteado, crucificado... Ele poderia mandar um raio do ceu e matar todos os fariseus quando foi acusado injustamente, porém ele preferiu fazer a vontade do Pai. http://inatriosolii.blogspot.com/

    ResponderExcluir