7 de dez de 2011

Dia da Bíblia

O Dia da Bíblia é celebrado no segundo domingo do mês de dezembro.

Está enganado quem pensa que os livros técnicos ou de auto ajuda são os mais vendidos. A Bíblia é o livro mais vendido do mundo.

No Brasil, este ano foi celebrado 100 milhões de Bíblias impressas pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB). Marca importante uma vez que a SBB é referência quando o assunto é as Sagradas Escrituras. E o Brasil é referência sendo o país com o maior número de cristãos do mundo. Números grandes para festejar um grande livro. Temos até o Museu da Bíblia localizado em Barueri, São Paulo.

Projetos interessantes - Várias instituições organizam atividades voltadas para incentivar a leitura e divulgação da Palavra de Deus.

No último dia 5 de dezembro, foi realizada uma sessão solene, no plenário da Câmara dos Deputados, para comemorar o Dia da Bíblia.

Este ano a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), para celebrar a data, encabeça um projeto voltado para a juventude que se chama A Bíblia Para o Jovem, embasado em Provérbios 3.6 que diz: “Lembre de Deus em tudo o que fizer, e ele lhe mostrará o caminho certo.”

Outro projeto interessante foi a Bíblia feita à mão. Isso mesmo. Os brasileiros fizeram uma cópia da Bíblia manualmente. Foram 24 mil pessoas que participaram do projeto Povos do Mundo Escrevem a Bíblia, uma atividade da instituição Vale da Bíblia, com apoio da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB).

A Bíblia feita à mão tem 2629 páginas escritas em português, sendo produzida durante dois anos, envolvendo 187 igrejas e entidades cristãs. Os sete volumes produzidos – que envolvem todos os 66 livros do Antigo e Novo Testamentos -, depois de encadernados, foram entregues ao Consulado de Israel, em São Paulo. Serão expostos na biblioteca de Bíblias manuscritas da Casa da Bíblia, um museu ainda em construção localizado no Vale da Bíblia, perto da cidade de Jerusalém, em Israel.

O projeto Povos do Mundo Escrevem a Bíblia envolve 60 países na produção de exemplares escritos à mão das Sagradas Escrituras na língua natural de cada um deles. Aqui no Brasil a SBB ficou responsável por mobilizar as cópias, organizando-as em 20 estados.

Na história - Hoje existem gráficas modernas que fazem milhares de cópias de livros. Mas antes da Revolução Industrial, com o avanço da imprensa, os livros eram copiados manualmente.

A Palavra de Deus chegou aos dias de hoje graças ao trabalho dos copistas. Homens que se dedicavam a copiar os textos desde a antiguidade. Na Idade Média, os copistas trabalhavam em recintos chamados scriptorium. A SBB reproduziu o scriptorium em vários estados para relembrar a prática. Uma volta ao passado para evidenciar o quanto foi importante esses copistas na história para que hoje as pessoas tenham um exemplar bíblico nas mãos.

Desde antes de Cristo - A Bíblia manuscrita não é novidade dos tempos atuais. O Antigo Testamento foi escrito à mão, em aramaico (os livros de Ester e de Daniel) e hebraico (os demais livros) ainda antes da era cristã. O Novo Testamento também foi redigido à mão, em grego. Tudo graças a um grupo de pessoas que ficou conhecida como copistas.

Desde tempos antigos, judeus da Palestina tinham postura de reverência pelo texto, pois acreditavam que as letras do texto eram sagradas. O que isso significa? Consideravam as idéias do texto como sagradas e as próprias letras como algo sagrado. Por isso, os copistas tinham a minucia de fazer cópias que não podiam ser diferentes das cópias anteriores. Se mudasse a escrita, era uma afronta ao sagrado. Tinham que fazer as letras exatamente igual à anterior. O copista/escriba fazia as cópias em jejum, do nascer ao por do sol. Fazia as letras e as contava para não haver erros. Eles copiavam as letras e, em meio ao serviço, paravam para se purificar, tomando banho. Copiar era um contato com o sagrado. Por isso eles o faziam em jejum e praticavam o banho de purificação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário