20 de jan de 2012

Imprensa fútil

Assisto aos telejornais diariamente, ouço rádio exclusivamente de notícias, folheio revistas e também navego na internet. Folha, Veja, Época, Correio Braziliense, G1, R7, Jornal de Brasília e outros portais são meus acessos diários. O que a imprensa publica me interessa por força da profissão.

Sei que os jornalistas escolhem pautas pelos seguintes critérios: assunto ser novidade, inédito, singular, inesperado, muito negativo, muito positivo (fora dos padrões normais), causar impacto ou ter apelo social. A natureza da mídia é informar, denunciar, cobrar soluções. Pode destruir reputações e patrimônios.

Ultimamente as pautas da imprensa deixam a desejar. De três, uma: ou os assuntos do mundo acabaram, os problemas brasileiros já foram resolvidos ou estamos ficando burros.

Agora o que se publica é somente o suposto abuso sexual ocorrido no BBB 12 ou a Luiza que votou do Canadá.

Sinceramente, não tem outro assunto para falar? Esses assuntos são fúteis, sem interesse social, etc, etc e tal.

O comentário mais inteligente que ouvi foi a crítica do jornalista Carlos Nascimento (foto), no Jornal do SBT. Ele condenou as duas pautas.


Assista ao comentário de Carlos Nascimento:

http://entretenimento.r7.com/famosos-e-tv/noticias/carlos-nascimento-se-irrita-e-detona-bbb-e-luiza-do-canada-20120120.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário