31 de mar de 2012

Páscoa

Coroa de espinhos, cruz, pregos, suor, dor, sofrimento. Essas palavras remetem à memória da morte, mas também da ressurreição de Jesus Cristo. Assim, as pessoas são lembradas de que a páscoa dos cristãos está chegando. É uma festa mundial que celebra a ressurreição de Jesus Cristo, o Salvador. A celebração é pela libertação do pecado. Jesus, o Cordeiro, foi sacrificado para tirar o pecado da humanidade.

A páscoa tem família em volta da mesa, tem ministração especial nas igrejas, o reconhecimento de que Jesus foi sacrificado pelos pecados, e isso trouxe salvação e aproximou novamente o homem de Deus.

A páscoa cristã vem de tradição da festa judaica. Lá em Israel, significa pêssach, ou seja, passagem. Os judeus do Antigo Testamento comemoraram a vitória de ter deixado a escravidão no Egito e ter partido rumo a Canaã, a terra prometida, numa travessia liderada por Moisés. A páscoa judaica também tem o significado de libertação, assim como a cristã.

As famílias judaicas fazem comida especial para o dia. Tem cordeiro, pães asmos, ervas amargas, mel, entre outros pratos. Cada alimento tem simbolismo próprio. O cordeiro, por exemplo, simboliza o sacrifício para o perdão dos pecados. Os pães sem fermento (asmos) são para lembrar que os judeus que saíram do Egito não tiveram tempo de deixar o pão crescer. Por isso o alimento sem fermento.

A diferença entre os cristãos e os judeus é que estes não aceitam Jesus Cristo como o Messias. Adoram somente a Deus, o Criador. Os cristãos aceitam a revelação que está no Novo Testamento de que Jesus Cristo é o Messias, o enviado por Deus para religar o homem ao Pai.

Uma festa singular. Em Jesus, existe vida para relembrar que a cruz foi um gesto de amor sem medida. Jesus se entregou por amor. Que cada pessoa tenha um coração agradecido nesta páscoa. Que relembre o sacrifício, em memória dEle, até que volte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário