7 de abr de 2012

Malhação de Judas: de onde vem essa brincadeira?

Boneco de Judas Iscariotes

Além de presentear com ovos de chocolate, a Páscoa tem outro costume: muitas pessoas malham o Judas. O que é isso?

Nos grandes centros urbanos a brincadeira é cada vez mais rara. Mas ainda existe no interior do Brasil e em vários países. É a tradiçao de fazer um boneco de pano do tamanho de um homem, enchê-lo de serragem ou papel, dependurar em um poste de iluminação pública ou em galhos de árvores, e malhá-lo no sábado de aleluia. Os participantes leem um testamento que narra os bens de baixo valor do boneco. Depois o malham. Uns colocam fogo, outros batem-no com paus e jogam pedras.

O boneco de pano representa uma figura mal vista. É o simbolismo da morte de Judas Iscariotes, que se vendeu por 30 moedas de prata, traindo Jesus ao entregá-lo aos soldados romanos (Marcos 14). O texto bíblico diz que Judas se enforcou com uma corda depois da traição.

A malhação veio para a América Latina trazida pelos espanhóis e portugueses. Mas remete-se a tempos ainda mais antigos.

Agricultores queimavam bonecos durante a colheita para espantar as divindades do mal. Depois, a prática - que significa purificação, foi introduzida ao calendário romano e ao cristianismo.

É o momento de expor e espantar os demônios e ficar limpo para o domingo da ressurreição. Por isso é que acontece no meio da Páscoa, no sábado de aleluia. Um dia depois da sexta-feira santa (crucificação de Cristo) e um dia antes do domingo (ressurreição de Jesus Crsito).

Nenhum comentário:

Postar um comentário