26 de jun de 2012

Roubo na igreja

A menina Brenda Gabriela da Silva, 4 anos, foi roubada da mãe durante um culto evangélico, onde mais de 30 mil pessoas participavam, na igreja Deus é Amor, em São Paulo.

Quinze dias depois, Alex Ramos de Carvalho, vizinho da criança, estava trabalhando quando viu um homem carregando Brenda no colo. Ele pegou a menina, chamou a polícia, mas não conseguiu segurar o sequestrador que acabou fugindo. Por sorte e bênção divina, a mãe de Brenda, Geisa Maria da Silva, recebeu a filha de volta.

O caso ganhou repercussão nacional na imprensa. Mas o que pouco se comenta é sobre como é comum assaltos, furtos e roubos dentro das igrejas ou nos estacionamentos externos próximos aos templos.

Além de um olho no culto e outro nos filhos, os fiéis precisam estar atentos para não serem roubados. É muito comum as pessoas irem ao banheiro e deixar bolsas, Bíblias e casacos nos bancos. Ladrões na espreita aproveitam esses momentos de distração.

Outro momento muito facilitador para os ladrões é quando o pastor chama as pessoas para irem à frente do templo para receber oração. Se deixar objetos nos bancos, corre-se o risco de não encontrá-los mais.

Nos estacionamentos já é comum as igrejas providenciarem vigias, pois os assaltos e furtos são constantes. Bandidos levam toca-fitas, pneus e até os próprios veículos.

Até na hora de buscar o sagrado e praticar a fé, o cuidado deve ser redobrado. Vixe! Que Deus nos acuda. Até nas igrejas corremos o risco da falta de segurança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário