13 de ago de 2012

Arte de Candido Portinari é história e cultura brasileira


Eu, na exposição de Candido Portinari

Ele pintou o Brasil nas suas cores mais alegres. A série Retratos da Brasilidade, composta de 12 telas gigantes, está em exposição em Brasília revelando o brasileiro que levou história, graça e vida para os quadros.

A pedido de Assis Chateaubriand, Portinari pintou as telas, entre 1954 e 1956, para decorar o jornal O Cruzeiro. Com isso ele marcou o período de arte modernista, ao colocar na tela pinceladas com cores fortes, formas, efeitos dramáticos, desenhos expressivos. Antes, o cinza predominava, pois era típico do cubismo. Ele ganhou mais notoriedade ao sair da sombria cor cinza e encher de cores seus trabalhos. São essas obras que os visitantes poderão conferir na exposição.

Entre baianas, cenas de gaúchos, o garimpo das Minas Gerais, o descobrimento do Brasil com índios e caravelas, a música ritmada do frevo e do samba, os bandeirantes, os seringueiros. De tudo um pouco Portinari retratou. Mostrou o Brasil popular, regional e nacional. O Brasil folclórico.  Um País muito simples, mas expressivo. Alegre também. Os vaqueiros e as jangadas do Nordeste assim como o bumba-meu-boi não foram esquecidos.

A riqueza das cores do brasileiro artista atravessou mares, sendo exposta internacionalmente, onde recebeu vários prêmios. Uma riqueza que mostra a alma da Nação por meio de figuras. Muita arte. Muita vida brasileira nas telas. Exaltação nacional. Uma assinatura reconhecidamente tupiniquim, com muito orgulho.

Perfil
O artista plástico Candido Portinari (1903-1962), que nasceu no interior de São Paulo, pertenceu a uma geração de intelectuais cuja lista tem nomes como Gilberto Freira, Oscar Niemeyer, Villa-Lobos, Mário de Andrade, entre outros.

Enfocando a alma do Brasil em sue trabalho, é representante do período modernista da cultura brasileira.

Minha opinião
Fui à exposição. Gostei! Recomendo.

Serviço
Exposição Retratos da Brasilidade
Até 16 de setembro de 2012, das 9h às 18 horas, no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, com entrada franca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário