2 de ago de 2012

Aula de história do Brasil, com quadro da primeira missa

Entrada da exposição na Câmara dos Deputados

Todos os alunos do ensino médio já viram esse quadro nos livros de História. É do artista Vítor Meireles, intitulado A “Primeira Missa do Brasil”. Essa é uma das telas famosas dos livros didáticos, sendo pintada entre 1858 a 1860, em Paris. O autor inspirou-se no relato estampado na carta de Pero Vaz de Caminha.
Vários esboços foram produzidos antes da obra final que tem dimensão grandiosa (óleo sobre tela, 270X357cm).
Essa foi a primeira obra de um artista brasileiro a ser exposta no Salão de Paris, em 1861. Pelo sucesso Meireles (que nasceu em Desterro, atual Florianópolis, em 1832, e morreu no Rio de Janeiro, em 1903) foi condecorado com o grau de Cavaleiro da Ordem da Rosa, pelo imperador D. Pedro II.
Escritores, jornalistas e críticos de arte afirmam que Vitor Meireles cometeu um equívoco ao nomear a sua obra de “Primeira Missa no Brasil”. O artista descreveu a segunda missa aqui celebrada, tendo-a denominado de “primeira missa” por ser a primeira a ser oficiada em terra firme, na presença de índios tupiniquins, no dia 1º de maio de 1500. Ainda há o comentário dos que afirmam que Meireles, seguindo o seu estilo de estudos na França, referenciou a obra de Première Messe en Kabylie, de Horace Vernet. A cena do frei com o cálice erguido é quase idêntica nas duas obras.

Minha opinião
Como professora de História jamais deixaria de visitar essa exposição. Eu amei! Vi várias vezes a imagem do quadro nos livros didáticos. Ver a obra, ao vivo, foi muito bom. Recomendo para todos os professores, jornalistas, estudantes. Também para todas as pessoas inteligentes que gostam de arte, cultura e história.

Serviço
Exposição Primeira Missa no Brasil, de Vítor Meireles
De 3 de julho a 16 de setembro de 2012
Das 9h às 18 horas
Salão Nobre da Câmara dos Deputados
Entrada gratuita
Informações: (61) 3216-1768 / exposicoes@camara.gov.br



Quadro da "Primeira Missa do Brasil", de Vitor Meireles, em exposição na Câmara dos Deputados

Nenhum comentário:

Postar um comentário