2 de dez de 2012

O rei sobe a rampa

Ele cantou sobre o Nordeste.

Com sua sanfona o forró do sertão correu os quatro cantos do Brasil.

Parte da história e da música do rei do baião está na exposição “O imaginário do rei, visões do universo de Luiz Gonzaga”, no Palácio do Planalto. Quem disse que só presidente sobe a rampa? O nordestino cancioneiro subiu também.






O retrato das coisas simples. Gente simples. Nordestinos. Brasileiros.

Na exposição tem fotografia de vaqueiro, tem padre feito de argila, fotógrafo lambe-lambe. Tem sanfona, claro. Tem zabumba. Quadros, discos de vinil, livros. Tem roupa de cangaço. A religiosidade, as festas, as músicas. Tudo está lá. O Brasil bem colorido visto por meio de peças simples feitas de argila, madeira, óleo sobre tela.

A exposição tem também um sanfoneiro tocando ao vivo para entreter os visitantes, para cantar as músicas que o povo consagrou como “Asa branca”.

Um Brasil forte, de gente sofrida, trabalhadora, honesta. Gente simples, mas muito festeira e feliz. Um Brasil muito nordestino. A cara de Gonzagão.

A exposição marca os 100 anos do artista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário