21 de abr de 2015

Brasília muitas faces. A cidade é assim

Cidade das siglas: SQS, SQS, HIGS, QNL, QNA, SCS.

Cidade dos espaços: onde se tem abertura para ver e andar para todos os lados, inclusive para olhar o céu.

Cidade da arquitetura: pilotis, cobogós. E seus palácios? E suas colunas? Tudo vem dos riscos, rabiscos, traços, sonho e trabalho de JK, Oscar Niemeyer, Athos Bulcão, Lúcio Costa. Do Planalto, da Alvorada e muitos outros.

Verde: maior espaço com árvores e gramas por habitante do Brasil.

Da música: do sertanejo ao forró, passando pelo axé, MPB e rock. Todos os sons.

Da poesia, da arte nas feiras do Guará, Planaltina, Ceilândia, do Paraguai. Som de birimbau na Torre de TV. Quem nunca ouviu? E numa roda de capoeira.

Brasília das comidinhas. Em todas as bandejas se vê sabores do Brasil: acarajé, cocadinha, churrasco, bobó de camarão, pão de queijo, café, açaí. São muitas delícias.

Das greves e manifestações: com trânsito parado, atraso ao trabalho, cidade paralisada. Mas isso é democracia. Só não precisava fechar as pistas para se manifestar.

Do Eixão: aberto aos carros de segunda a sábado. Fechado somente para as tribos aos domingos. Rumo dos corredores, ciclistas, skatistas, enfim.

Das embaixadas: todas as bandeiras, todas as línguas. Alemães, australianos, americanos, japoneses, parisienses, enfim.

Do formato de avião: Asas Sul e Norte, Lagos Sul e Norte, recortados e banhados pela beleza criada do Lago Paranoá.

Dos templos: vitrais coloridos, cheios de fé. Todas as fés. Evangélicos, católicos. Dos sem fé também: ateus, gnósticos, enfim.

De todos os parques: Sara Kubitschek, Olhos d’Água, Água Mineral.

Do vários climas: sol, calor, frio e chuva no mesmo dia. Seca tipo deserto do Saara também. Quem nunca viveu?

De várias flores e árvores: ipê, buriti, jatobá, jacarandá. Troncos retorcidos. Conhecidos. A marca do cerrado. Sem falar nas árvores frutíferas plantadas por toda cidade: mangueira, jaqueira, enfim.

Dos bares, restaurantes, cafés, food truck. Coisa de agora que pegou por aqui. Brasília gourmet. Paladares brasileiros e internacionais.

Das vias: L 2 Sul, W 3 Norte, EPTG, EPGU, EPIA, Eixão, L 4 Norte, Eixinho.

Brasília da organização. Cada coisa no seu lugar: Setor Hoteleiro, Setor Hospitalar, Setor de Rádio e TV.

Dos monumentos: Congresso, Ermida Dom Bosco, Catedral, Esplanada, Os Candangos, Memorial JK, Museu da República, Museu do Índio, Banco Central, Museu Vivo da Memória Candanga. São tantos.

Das cidades administrativas, antigas satélites. Muda-se o nome, mas não se altera a identidade do povo: Taguatinga, Guará, Samambaia, Gama, Sobradinho, P Sul, Ceilândia, M Norte, Recanto das Emas e muitas outras.

Da educação: setor de colégios, faculdades tradicionais, universidade ativa. Construção do saber.

Do esporte: corridinha no parque, pedal, suor nas academias, transpiração.

Da linguagem própria: só por aqui bicicleta se chama magrela.

Brasília da comunicação: rádios, TVs, jornais. Correio Braziliense, TV Brasília a primeira da capital a funcionar, Band Brasília, DF no Ar, DFTV, SBT Brasília.

Brasília rural. Sim, temos chácaras com boa plantação de alfaces, morangos, etc.

Da política: Câmara, Senado, Câmara Legislativa. E dos concursos públicos.

De uma população jovem. O brasiliense tem, no máximo, 55 anos.

Cidade de coração aberto. Abrigou e ainda recebe todas as culturas, todos os brasileiros. Mistura geral. Goianos, cearenses, baianos, capixabas, paulistas, cariocas, mineiros, gaúchos e muitos outros. Todos são bem-vindos.

Das superquadras, numeradas, organizadas. Com blocos que sempre vão de A a K. Isso mesmo. Cada superquadra do Plano Piloto tem somente onze blocos. Todos terminando com a letra K.

Brasília das compras: shoppings lotados aos domingos.

Da cultura na rua, nos telões dos cinemas. Da arte: pintura, escultura, grafite. Tem feirinha por toda parte. Pincéis, tintas, ideias na cabeça e beleza no papel, na tela, nas paredes externas das casas.

Essa é a Brasília que eu vejo. Sou daqui, sou brasiliense. E que cidade você enxerga? Como é Brasília para você? #Brasília55Anos #21Abril2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário